Qual é o valor anual das árvores? Segundo estudo equivale a U$ 500 milhões por megacidade

O estudo recente publicado na revista online de Modelagem Ecológica, uma equipe internacional de pesquisadores informou que, nas 10 megacidades que estudaram, os benefícios dos ecossistemas baseados em árvores tinham um valor anual médio de U$ 505 milhões, o que equivale a U$ 1,2 milhão por quilômetro quadrado de árvores. De outra perspectiva, o valor era de U$ 35 per capita para o residente médio de megacidade.

O principal autor do estudo, Dr. Theodore Endreny, do Colégio de Ciências Ambientais e Florestas (ESF) em Siracusa, Nova York, disse que o valor dos serviços das árvores poderia ser facilmente duplicado simplesmente plantando mais deles.

“As megacidades podem aumentar esses benefícios em média em 85%”, disse Endreny.

“Se as árvores fossem estabelecidas em toda a sua área de cobertura potencial, eles serviriam para filtrar os poluentes do ar e da água e reduzir o uso de energia no edifício, e melhorar o bem-estar humano, ao mesmo tempo em que fornece habitat e recursos para outras espécies na área urbana”.

O estudo avaliou a cobertura existente e potencial da árvore, e sua contribuição para os serviços ecossistêmicos em 10 áreas metropolitanas de megacidades em cinco continentes e biomas (uma grande comunidade natural de plantas e animais que ocupa um habitat importante). As cidades eram Pequim, China; Buenos Aires, Argentina; Cairo, Egito; Istambul, Turquia; Londres, Grã-Bretanha; Los Angeles, Estados Unidos; Cidade do México, México; Moscou, Rússia; Mumbai, Índia; e Tóquio, Japão.

Os pesquisadores estimaram os benefícios da cobertura das árvores na redução da poluição do ar, escoamento das águas pluviais, custos de energia associados aos edifícios de aquecimento e refrigeração e emissões de carbono. “As árvores têm benefícios diretos e indiretos para refrigerar edifícios e reduzir o sofrimento humano durante as ondas de calor”, disse Endreny. “O benefício direto é a sombra que mantém a área urbana mais fria, o benefício indireto é a transpiração de águas pluviais que transforma o ar quente em um ar mais frio”.

As árvores urbanas realizam serviços que a maioria das pessoas desconhece, incluindo a remoção de partículas particuladas no ar, perigosas para a respiração humana, mas são capturadas nas folhas; poupança de energia sob a forma de resfriamento e isolamento tanto da luz solar do verão como do inverno; e o sequestro de carbono, que ocorre quando as árvores absorvem e armazenam dióxido de carbono à medida que mitigam as mudanças climáticas.

“Colocar esses resultados na escala maior dos sistemas socioeconômicos evidencia em que medida a natureza apoia o bem-estar individual e comunitário, fornecendo serviços ecossistêmicos gratuitamente”, disse um dos coautores de Endreny, o professor Sergio Ulgiati da Universidade Parthenope de Nápoles, Itália.

“Uma consciência mais profunda do valor econômico dos serviços gratuitos fornecidos pela natureza pode aumentar a nossa vontade de investir esforços e recursos na conservação do capital natural e na correta exploração, de modo que a riqueza social, a estabilidade econômica e o bem-estar também aumentariam. Com esta pesquisa conjunta, criamos na nossa universidade um Laboratório de Bem-estar Urbano, administrado conjuntamente por pesquisadores e stakeholders locais”.

Fonte: Sciencedaily